Skip to content

Edição de julho e agosto 2020

XVI Congresso será online em 2020

Ainda que o Brasil esteja vivenciando as restrições da pandemia COVID-19, o XVI Congresso do Forcine está mantido para 2020 e será realizado online. A data já pode ser salva nos calendários da comunidade do Fórum: de 23/9 (quarta-feira) até 26/9 (sábado) com transmissão de toda a programação ao vivo pela Internet.

Manter o Congresso é uma das principais formas de celebração do ano que, apesar das dificuldades, marca os 20 anos de atuação do Forcine e a necessidade de celebrá-lo com todos que constuiram e constroem essa história. Como previsto antes da deflagração da pandemia, ainda que realizado remotamente, a sede também foi mantida na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) que, desde 2019, vem trabalhando com a diretoria na organização do evento.

A temática central foi definida como FORCINE 20 anos: O Cinema como Linguagem Transversal. A programação ainda não foi oficialmente divulgada, mas está desenhada e em fase de confirmação com convidadas/os. A previsão de divulgação oficial é para o mês de agosto, no entanto é possível adiantar temas prévios da programação. Confira abaixo essas temáticas e fique atenta/o a confirmação e às informações de inscrições nos canais de comunicação do Forcine.


Quarta-feira 23/9 

  • Novas articulações para produção audiovisual : protocolos e desafios (Mesa de Abertura)
  • FORCINE 20 anos/Trajetórias e Rumos do setor audiovisual: ensino, políticas e mercado (Mesa 1)

Quinta-feira 24/9

  • Experiências Criativas das escolas de cinema e audiovisual no momento atual (Mesa 2)
  • Diretrizes de Diversidade nos Cursos de Cinema e Audiovisual do Brasil + Mostra de produções Diversas (GT1)
  • Desafios do Ensino à Distância (GT2)
  • Tudo que você sempre quis saber sobre XR mas tinha vergonha de perguntar (Workshop)
  • Cinerama UFRJ / Lançamento da Mostra Itinerante de Cinema Universitário Forcine 20 Anos FORCINE/Festival de Gramado/Sigma

Sexta-feira 25/9

  • O cinema como linguagem transversal (Mesa 3)
  • Encontros das Redes docentes do Forcine (GT3)
  • Streaming, VOD e novos nichos de exibição e distribuição (GT4)
  • Realidade Virtual e Animação: oportunidades de negócios no Brasil (GT5)
  • Mesa Cinerama UFRJ

Sábado 26/9

  • Plenária Final do XVI Congresso
  • Assembleia Geral Ordinária (AGO)
    prestação de contas da atual gestão e eleição nova gestão biênio (2021-2022)
Fórum estreia canal no Youtube durante a quarentena

Durante a pandemia, o Fórum estreou oficialmente seu canal na plataforma de vídeos Youtube. O espaço foi inaugurado em vista da transmissão do ciclo de webinars Forcine em Casa e já conta com o conteúdo dos dois primeiros encontros realizados em 2020.

O primeiro webinar foi realizado em maio através uma parceria do Fórum com a Federação Portuguesa das Escolas de Cinema (FECA), onde o Forcine apresentou um diálogo com educadores de escolas portuguesas sobre o cenário do ensino em cinema e audiovisual em Portugal durante a pandemia COVID-19. Já o segundo evento disponível,  realizado em julho, foi sobre a retomada presencial e os protocolos de segurança no mercado audiovisual brasileiro e no ensino de cinema e audiovisual. Ambos os webinars tiveram transmissão ao vivo com a participação média de 50 espectadores.

O ciclo Forcine em Casa apresentará mais seminários em 2020 e a divulgação será feita pelo site e redes sociais do Forcine e pela lista eletrônica da entidade. Aos poucos, o Fórum também migrará a produção audiovisual arquivada em outros lugares para o canal. Para saber dos novos vídeos, basta se inscrever no canal, acessando o endereço forcine.org.br/canal.

Forcine realiza mapeamento de diversidades na formação brasileira

O Forcine, como parte das ações dos 20 anos da entidade, está realizando um Mapeamento de Diversidades nos Cursos de Cinema e Audiovisual. A ação é extensiva a todas as escolas de cinema e audiovisual brasileiras, associadas ou não à entidade, e está sendo realizada com o apoio da Sociedade Brasileira de Estudos de Cinema e Audiovisual (Socine).

Como já apontado pela pesquisa e divulgado pelo Boletim Forcine, tal escopo é bastante amplo e composto por centenas de instituições brasileiras, envolvendo bacharelados, cursos tecnológicos, licenciaturas, especializações e cursos livres. Segundo a base do Ministério da Educação, apenas no ensino superior, 184 instituições ofertam formação regular em 2020.

No dia 31/7 foi encerrado o prazo para as escolas preencherem as informações e enviarem ao Forcine. Após a compilação dos dados, será possível ter um panorama inédito sobre a composição dos corpos docentes e técnicos das escolas quanto a gênero, raça e etnicidade, e portadoras/es de deficiência. Tais dados serão também cruzados com as áreas de atuação dos profissionais da educação em cinema e audiovisual. A pesquisa também contempla o perfil dos cursos brasileiros quanto a ingresso, existência de cotas sociais, bolsas de estudo, políticas de permanência, representação discente, acessibilidade às aulas e na produção audiovisual e o foco da pesquisa e da extensão em áreas estratégicas dos grupos subrepresentados.

A previsão é que os dados sejam apresentados à comunidade do Forcine durante a realização do XVI Congresso, alusivo aos 20 anos da entidade, que ocorrerá online no periodo de 23/9 (quarta-feira) até 26/9 (sábado). A concepção da pesquisa é das diretoras do Forcine Tainá Xavier (UNILA) e Alessandra Meleiro (UFSCar), com assistentes de pesquisa e um comitê consultivo formado por professores e técnicos de escolas associadas e entidades parcerias do Forcine. As informações sobre a pesquisa e, futuramente, a consolidação dos dados podem ser conferidas na página do Mapeamento no site do Forcine.

ICAB e Forcine promovem ciclo de webinars Audiovisual sem Fronteiras

Realizado pelo Instituto de Conteúdos Audiovisuais Brasileiros (ICAB) e pelo Forcine, o Ciclo de Webinars Audiovisual sem Fronteiras colocará em pauta diferentes olhares, aspectos e desafios da indústria criativa/audiovisual diante do atual cenário social, político e econômico brasileiro e mundial.

Pesquisadores, acadêmicos, produtores, jornalistas, representantes institucionais e demais agentes do setor audiovisual e da economia criativa debaterão questões como a relação entre cinema/cultura e o soft power, a visão do mundo sobre o Brasil a partir do cinema, do audiovisual e da imprensa internacional, os caminhos e tendências para inovação e circulação nacional e internacional do audiovisual, entre outros temas.

Os encontros serão virtuais e realizados quinzenalmente, nos meses de agosto (11 e 25) e outubro (15 e 29), terças às 16h (horário de Brasília). Com apoio da Brasil Audiovisual Independente (BRAVI), do Centro de Análise de Cinema e Audiovisual (CENA/UFSCar) e da Universidade de Leeds, Inglaterra; a iniciativa visa a promoção do diálogo, análise e cruzamento de ideias para o fortalecimento e continuidade de desenvolvimento do setor audiovisual.

Os participantes convidados para o ciclo são César Jiménez-Martínez, pesquisador chileno; Stephanie Dennison, acadêmica da Universidade de Leeds (Inglaterra); Paulo Roberto de Almeida, diplomata brasileiro, e a distribuidora Sabrina Nudeliman, com mediação de Fernando Dias (produtor audiovisual e conselheiro fundador da BRAVI) e Alessandra Meleiro (pesquisadora e curadora do Audiovisual sem Fronteiras). A abertura do evento será feita pelo diretor Executivo do ICAB, Mauro Garcia.

O evento é gratuito, realizado via plataforma Zoom, voltado a realizadores, estudantes, pesquisadores e demais agentes da indústria audiovisual. Cada conferência tem previsão de duas horas de duração, com espaço para interação dos participantes via chat. Saiba mais sobre em breve no site e canais do ICAB.

Mobilização política pela pós-graduação brasileira

Nos meses de junho e julho, como membro Federação Brasileira das Associações Científicas e Acadêmicas de Comunicação (SOCICOM), o Forcine participou e foi signatário de manifestações das entidades em favor da pós-graduação brasileira.

Tal movimento ocorre em vista de estudos e comunicados por parte da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) que visam, dentre outras coisas, a redução substantiva das áreas do conhecimento dos programas de pós-graduação, das atuais 49 áreas de avaliação para nove grandes áreas. Também está em jogo um cenário de ameaças à distribuição de bolsas de pesquisa aos PPG´s que coloca todos os programas, especialmente os menores, com nota de avaliação 3 e 4, em dificuldades para manutenção da oferta aos estudantes.

Sobre a redução de áreas, os três colégios que organizam as mais de 40 áreas atuais divulgaram carta aberta sobre o atual relatório Capes que, segundo o documento, "parece ignorar algumas alterações já implantadas e testadas" e também manifesta a "ausência de debate com a comunidade científica" e uma "profunda preocupação" na recepção do documento.

A respeito da política de distribuição de bolsas, a Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) divulgou o documento A Nova Política de Distribuição de Bolsas da CAPES: Onde Estamos e o que Esperamos do Novo Plano. Trata-se de um estudo detalhado sobre o presente cenário de redução de 10% do total de bolsas de pós-graduação, sendo que a maior perda ocorreu nos programas com conceito 3 e 4, com perdas de até 40%. O estudo foi realizado pelos pesquisadores Reinaldo Ramos de Carvalho e Thiago Signorini Gonçalves.

O Forcine reitera seu papel de apoio à luta pelo ensino de pós-graduação e a pesquisa brasileira como essenciais ao desenvolvimento do campo dos estudos em cinema e audiovisual e toda a ciência nacional.

Colabore com o Boletim Forcine

Compartilhe notícias, relatos e experiências de suas escolas no Boletim Forcine. Colaborações com as próximas edições são bem-vindas através do e-mail contato.forcine@gmail.com (informar no título da mensagem Boletim Forcine). O texto deve conter até 250 palavras, pode conter links para páginas de internet e uma imagem.