Skip to content

Edição de fevereiro e março 2020

Forcine 2020: Encontros nas regiões Sul, Sudeste, Norte e Nordeste

Como destacado no boletim anterior, 2020 é um ano especial para o Forcine, quando a entidade comemora 20 anos de atuação pelo ensino de cinema e audiovisual brasileiros. Além do tradicional Congresso Anual, com data definida para o período de 2 a 5 de setembro de 2020 na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), mais três Encontros Regionais serão realizados.

O primeiro deles ocorrerá na Região Nordeste, nos dias 21 e 22 de maio, em Fortaleza/CE, no Porto Iracema das Artes/ Instituto Dragão do Mar, em cooperação com a Universidade de Fortaleza (UNIFOR). O segundo a ocorrer é o da Região Norte, nos dias 23 e 24 de junho, em Belém/PA, na Universidade Federal do Pará (UFPA). O terceiro Encontro, e último antes do Encontro Nacional, será a 3ª edição do Forcine Sul que ocorre, desde 2018, no Festival de Gramado, em Gramado/RS, marcado para o período de 14 a 17 de agosto.

Um dos destaques está na realização da Mostra 20 Anos Forcine 2020, que reunirá a produção audiovisual das escolas por meio de curadoria e seleção realizadas pelo coletivo de cinema Sigma, parceiro do Forcine. Haverá divulgação do concurso nos encontros das regiões Nordeste e Norte e, no encontro regional do Sul, durante o Festival de Gramado, haverá a primeira exibição pública da Mostra. Após, os filmes selecionados serão exibidos no Congresso da UFRJ e, por fim, distribuídos para exibição itinerante em todas as escolas associadas.

Durante os Encontros haverá consultas para levantamento de demandas para a Pesquisa em andamento "Diretrizes para implementação de políticas para a diversidade nas escolas de cinema e audiovisual do Brasil". Todos os eventos serão gratuitos e terão sua divulgação, programação atualizada e formas de inscrição (se for o caso) anunciadas no endereço forcine.org.br/vinte.

Todos os interessados, realizadores audiovisuais, profissionais técnicos, críticos, cinéfilos, gestores, estudantes, professores e técnicos das escolas de cinema e audiovisual, dentre outros, são convidados a celebrar conosco os 20 anos de existência do Forcine em todas as atividades ao longo de 2020.

Cursos superiores de Cinema e Audiovisual crescem mais de 100% em 4 anos

O número de cursos superiores de Cinema e Audiovisual cresceu mais de 100% no período de quatro anos. O levantamento foi feito pelo Forcine que, por meio de suas Pesquisas e Mapeamentos, mantém firme seu compromisso de contribuir de forma sistemática para o campo da formação e capacitação em cinema e audiovisual.

Foram monitorados os registros disponíveis na base de dados oficial do Ministério da Educação, onde constam os atos regulatórios de cursos e Instuições de Ensino Superior (IES), o e-MEC. Os dados são iniciais e serão utilizados em investigações feitas pela entidade.

Em 2016, período do último levantamento, a oferta brasileira era de 87 cursos de graduação em atividade, sem estar em processo de extinção, cadastrados no sistema. Neste início de 2020, constam 184 graduações com oferta regular, o que representa um aumento de 111,4%. O número total é divido em modalidades de oferta. A maioria é concentrada em bacharelados presenciais (108 cursos), seguidos de tecnológicos presenciais (63 cursos), tecnológicos a distância (5 cursos), bacharelados a distância e sequenciais (3 cursos cada) e licenciaturas presenciais (2 cursos).

As informações obtidas no sistema e-MEC, nos termos da legislação vigente, "são declaratórias e a veracidade é de responsabilidade da respectiva instituição" o que significa que algumas informações podem ter sofrido alteração sem ainda terem sido atualizadas na base de dados. No entanto, é possível afirmar que houve um aumento expressivo da oferta no país em quatro anos, o que, na avaliação do Forcine, demonstra um excepcional interesse de estudantes e gestores acadêmicos pelo setor.

Escolas de Cinema da Alemanha mobilizadas pela Igualdade de Gênero

Uma iniciativa de seis escolas de cinema e audiovisual da Alemanha está mobilizando a formação e o mercado audiovisual alemão e europeu em torno da igualdade de gênero. Trata-se do documento Juntos pela Igualdade de Gênero, que traz o panorama de sub-representação das mulheres nas relações de trabalho dentro do audiovisual em quase todos os ofícios, especialmente em áreas que são usualmente masculinas como produção, cinematografia/direção de fotografia, som, VFX, dentre outras.

O documento Juntos pela Igualdade de Gênero traz quatro questionamentos relevantes e centrais sobre o tema, envolvendo diretamente a formação em cinema e audiovisual na Alemanha, relacionados às assimetrias de gênero entre formação e ocupação de postos de trabalho no mercado, gênero em sua compreensão estrutural, forma de atuação das escolas e uma compreensão mais abrangente sobre a igualdade de oportunidades. Tais questões conduziram as principais escolas de cinema da Alemanha a adotarem uma posição baseada em quatro pilares: conhecimento, poder, empoderamento e compromisso.

O tema já esteve presente na mesa de abertura do último Congresso do Forcine, que ocorreu na UFSC em Florianópolis/SC, com a participação por teleconferência da professora Susanne Foidl, da Konrad Wolf Film University Babelsberg, uma das instituições signatárias. Na ocasião, houve a apresentação do documento feita pela docente. As escolas brasileiras podem acessar o documento traduzido a partir deste link. O Fórum agradece o empenho de Giulia Godoy, aluna do Bacharelado em Imagem e Som da UFSCAR, quem realizou a tradução, e recomenda que o documento seja discutido no âmbito das escolas brasileiras.

Encontro de organizações de mulheres no audiovisual ocorre na Berlinale 2020

O Movimento alemão Pro Quote Film promoveu neste 70º Festival de Berlim (Berlinale 2020) a segunda edição da mesa-redonda com organizações internacionais de mulheres no audiovisual. O encontro buscou dar um próximo passo em relação à primeira discussão com o tema Shifting the Narrative, com a perspectiva de que as narrativas são uma ferramenta de mudança e superação dos formatos e estruturas incorporados no presente, no campo do cinema e audiovisual.

A organização visa, com a ação, aprofundar o tema para que se possa criar mudanças sistêmicas nas instituições com relação à diversidade e igualdade de gênero no audiovisual. A premissa da discussão é a que existe uma crença na indústria, que deve ser superada, de que não há proficiência feminina suficiente para as funções da realização. É necessário, portanto, trabalhar globalmente para desconstruir esse entendimento.

O evento ocorreu na sexta-feira 21/02, dentro da programação do Festival, em Berlim, e trouxe diversos subtemas como a igualdade de gênero nos festivais internacionais, a construção de uma rede de contatos internacionais influentes, o trabalho com cotas, o papel dos dados no processo de mudança e o combate ao assédio por vias legais.

O destaque na programação foi para a participação da realizadora brasileira e indígena Graci Guarani, do povo Guarani Kaiowá, que compos um painel com a groenlandesa Nina Skydsberg Jacobsen, mediado pela realizadora canadense Tracy Rector, sobre a ampliação das vozes sub-representadas com foco na realização audiovisual indígena. Veja a programação completa do evento aqui.

Fórum Nacional de Lideranças Femininas no Audiovisual ocorreu em 2019

No dia 21 de outubro de 2019, no Centro de Formação e Pesquisa do SESC, ocorreu o 1º Fórum Nacional de Lideranças Femininas no Audiovisual. O evento, que foi parte da programação da Mostra Internacional de Cinema de São Paulo de 2019, reuniu expoentes do movimento feminino no audiovisual em diversos estados para compartilhar informações, somar esforços e propor ações para a construção de um futuro de mais e melhores oportunidades para as mulheres na área. O Forcine esteve lá representado pela sua presidente, Alessandra Meleiro.

Forcine esteve no lançamento da Frente em Defesa do Cinema e Audiovisual

A diretoria do Forcine foi convidada a participar da sessão solene em homenagem à atriz Fernanda Montenegro e para o lançamento da Frente Parlamentar Mista em Defesa do Cinema e Audiovisual Brasileiros. Ambos os eventos ocorreram no plenário Ulysses Guimarães da Câmara dos Deputados no dia 16 de outubro de 2019, em Brasília/DF. A professora Denise Moraes, coordenadora do curso de Audiovisual da UnB,  associada do Forcine, foi convidada a representar o Fórum. Segue abaixo o relato da representação, para conhecimento de todas e todos:

O lançamento da Frente Parlamentar Mista em Defesa do Cinema e Audiovisual Brasileiros ocorreu com êxito, juntamente à homenagem oferecida à atriz Fernanda Montenegro por ocasião de seus 90 anos. Além do deputado Tadeu Alencar, coordenador da Frente, compuseram a mesa a cineasta Laís Bodansky, o representante do CONNE Renato Barbieri, o cineasta Luiz Carlos Barreto, o secretário de cultura de Pernambuco Gilberto Freyre Neto, o coordenador da BRAVI Marcos Altberg e o cineasta Gabriel Mascaro. Durante a solenidade, deputados e representantes do setor audiovisual reforçaram a relevância da criação da Frente Parlamentar que tem como objetivo promover uma ampla articulação nacional em favor da valorização da cultura e do audiovisual brasileiro, propondo atuar sobre iniciativas legislativas e governamentais que ameacem o cinema e o audiovisual.

Na ocasião, foi enfatizado o papel institucional da Frente na luta contra os retrocessos no campo da cultura e do setor audiovisual como o desmonte promovido na Ancine, as alterações no Conselho Superior do Cinema, o não aporte aos recursos do Fundo Setorial do Audiovisual e a censura a obras e projetos por motivos ideológicos. Os discursos no plenário reiteraram a importância do audiovisual enquanto atividade econômica geradora de cerca de 300 mil empregos diretos e indiretos, com um faturamento de 0,5% do PIB e 13 mil empresas envolvidas em sua cadeia produtiva, além de seu potencial na construção da identidade cultural brasileira e na valorização de sua diversidade.

Algumas pautas foram elencadas como fundamentais, entre elas a regulação do mercado de streaming no Brasil, a defesa de espaços para oferta e acesso de conteúdos brasileiros nas diversas plataformas e o direito à liberdade de expressão na promoção da cultura regional e nacional. 

Agradecemos à professora Denise pelo relato e pela disponibilidade em representar nosso Fórum em evento de tal importância. Reiteramos o compromisso do Forcine em integrar as diversas frentes de luta em defesa da educação, da cultura e da democracia.

Forcine presente no 1º Encontro de Cinema do Interior Paulista

Entre os dias 13 e 15 de dezembro de 2019, dezenas de cineastas, produtores, artistas e cineclubistas de diversos municípios se reuniram em Rio Claro/SP, recepcionados pelo Coletivo Kino Olho, para discutir uma coordenação de ações que fortaleçam as produções locais e criem um entendimento de unidade entre as cidades do interior do estado. O 1º Encontro de Cinema do Interior Paulista foi aberto com uma apresentação de cada uma das onze cidades ali representadas, que compartilharam as iniciativas já existentes em suas regiões e exibiram alguns trailers e filmes produzidos em seus municípios.

O evento seguiu com rodas de conversa sobre estética e linguagem interiorana, circulação das produções locais, fomento e políticas públicas e apresentação de entidades nacionais e estaduais como o Forcine, a API (Associação de Produtoras Independentes), a APACI (Associação Paulista de Cineastas), a FLIGSP (Fórum do Litoral, Interior e Grande São Paulo), além de projetos regionais como a Mostra de Cinema Amilar Alves, de Campinas/SP, e o Polo Audiovisual do Velho Oeste, da região do Vale do Paranapanema.

O Forcine foi representado por Lilian Solá Santiago, membro da diretoria do Fórum e professora da associada CEUNSP em Salto/SP, que fez um relato do histórico e da atuação recente do Forcine e também falou da importância da participação ativa de estudantes e realizadores do Interior de São Paulo nos Conselhos de Política Cultural Municipais. Estudantes e egressos de diversos cursos superiores de Cinema estiveram presentes, como USP, UFF, UFSCAR, CEUNSP, Anhembi-Morumbi, entre outras, a maioria organizada em coletivos.

As atividades em Rio Claro se estenderam por dois dias no Casarão da Cultura, onde estiveram representados os municípios paulistas de Assis, Bauru, Campinas, Itu, Limeira, Piracicaba, Rio Claro, São Pedro, Salto, São Carlos, Socorro e Sorocaba. “Experimentamos neste encontro uma organização de diversos grupos que atuavam isolados e que agora passam a se articular em diferentes frentes como de produção, exibição, distribuição e políticas públicas. Foi uma encantadora surpresa conhecer todos esses trabalhadores do cinema e partilhar um futuro coletivo para o cinema interiorano”, destaca Priscila Sales, do NPA (Núcleo de Projetos em Audiovisual), divisão do Polo Audiovisual do Velho Oeste.

Um novo território audiovisual

Desde a digitalização da produção audiovisual e principalmente após a implementação de políticas públicas que destinam recursos do estado aos projetos culturais de fora da capital, o número de filmes produzidos no interior vem aumentando consideravelmente, aliado à redução do déficit tecnológico em relação a região metropolitana, cenário que movimenta um número cada vez maior de cineastas estado adentro. Somente em 2019, através do Programa de Ação Cultural (ProAC), o setor movimentou aproximadamente R$ 5 milhões em recursos públicos.

Outro ponto de destaque é o baixo custo de produção e a consequente possibilidade de otimização de recursos dos editais. Facilidade logística, operacional, o baixo custo de vida, a ausência dos custos de produção especulativos de um mercado inflado como o da capital, além da possibilidade de ineditismo estético num território pouco saturado, tornam a produção de filmes no interior cada vez mais viável e atraente. Assista abaixo aos trailers de filmes exibidos e um breve registro do Encontro:


Ressentimento (Denis Augusto e Mariana Vita, 2019) Bauru/SP
Touros (Guilherme Xavier, 2019) Assis/SP
Registro Audiovisual 1º Encontro de Cinema do Interior Paulista

Canal Futura realizou mobilização #Nem1SemProfessor em 2019

O Canal Futura realizou a gravação de conteúdo audiovisual em homenagem aos professores em 2019, por ocasião da comemoração do dia do professor. A iniciativa dedicou-se a ouvir o que os professores têm a dizer e, como uma das ações, gerou depoimentos curtos onde docentes convidados completaram a frase "o melhor de ser professor é", utilizando hashtags #Nem1SemProfessor e #Nem1PraTrás. O Forcine foi parceiro do Futura na ação e, na ocasião, publicou vídeos da ação de divulgação. Veja os vídeos no Facebook do Fórum.

SBPC e entidades lançaram nota contra MP da escolha de dirigentes

A Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), juntamente com diversas entidades, dentre elas o Forcine, lançou nota em discordância com a Medida Provisória 914/2019, enviado ao Congresso Nacional pela Presidência da República no dia 24/12/2019. Tal medida estabelece novas regras para escolha dos dirigentes nas Instituições Federais de Ensino Superior (Universidades e Institutos Federais). As entidades signatárias avaliam que o procedimento foi realizado sem qualquer diálogo anterior com a comunidade acadêmica e que o ato não atende às prescrições constitucionais, no que tange a autonomia de cada uma delas. Conforme o artigo 207 da Constituição, “as universidades gozam de autonomia didático-científica, administrativa e de gestão financeira e patrimonial, e obedecerão ao princípio de indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extensão”. Leia o documento na íntegra neste link.

Colabore com o Boletim Forcine

Compartilhe notícias, relatos e experiências de suas escolas no Boletim Forcine. Colaborações com as próximas edições são bem-vindas através do e-mail contato.forcine@gmail.com (informar no título da mensagem Boletim Forcine). O texto deve conter até 250 palavras, pode conter links para páginas de internet e uma imagem.